Palácio da Liberdade

O edifício sede do Museu da Imagem e do Som, construído entre os anos de 1870 e 1890 pelo engenheiro de origem italiana Ernesto Guaita, é Patrimônio Histórico e Cultural tombado pelo Estado em 20 de junho de 1977, inscrito no Livro do Tombo sob n°59, processo 60/77.

Assim como as demais obras de Guaita segue essa casa o ecletismo de gramática neoclássica através do partido simétrico e de um vocabulário greco-romano. Sua implantação, no alinhamento da testada mais afastada dos demais limites do terreno e seu porte monumental, expressam um partido arquitetônico presente, na época, apenas nas edificações mais nobres da cidade.

Situado na rua Barão do Rio Branco, n°395 integra a paisagem urbana do eixo Barão-Riachuelo, que faz a ligação entre a antiga Estação Ferroviária e o Passeio Público. Esta região possui várias edificações de valor histórico e cultural para o município e passa por um complexo processo de revitalização. O antigo Palácio do Governo foi inicialmente projetado e construído para abrigar a residência de Leopoldo Ignácio Weiss. Apenas um ano após sua construção, o imóvel foi adquirido pela Fazenda Nacional para ser a primeira sede oficial do Governo do Estado do Paraná e servir de residência ao seu governador. A partir de então ficou conhecido como Palácio da Liberdade. O edifício serviu de sede governamental até o ano de 1937, quando foi transferida para o Palácio São Francisco. O antigo Palácio continuou abrigando funções públicas, tais como a Secretaria de Obras Públicas, a Secretaria do Interior e Justiça, a COSIPE e, desde 1989, o Museu da Imagem e do Som.
Recomendar esta página via e-mail: